quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

O Brasil está sob uma Guerra de 4ª Geração


Passada a condenação em segunda instância de Lula, que constrangedoramente jogou fora a decisão de Sérgio Moro substituindo-a por outra com fundamentação completamente diferente, não foram poucas as análises à esquerda, à direita, e mesmo à terceira e quarta via. No entanto, surpreende a escassez de apontamentos do aspecto mais crucial envolvido, que na realidade é o verdadeiro motivador de todo o processo contra o ex presidente, do impeachment, do próprio Petrolão e mesmo das Jornadas de Junho de 2013.
Se Lula é culpado ou não é absolutamente irrelevante! Pois mesmo que de fato fosse autor do maior esquema de corrupção de todos os tempos, este jamais viria a tona e seria punido se não interessasse à certas forças transnacionais, e mesmo que ele fosse completamente inocente, essas mesmas forças forjariam as evidências do modo como melhor lhes conviesse. A julgar pela vacuidade espantosa do processo que exigiu a reedição da Teoria do Domínio do Fato, quase unanimemente condenada por juristas como inapropriada para tal abordagem, [1] a realidade parece mais próxima da segunda possibilidade.
Também é irrelevante se Lula se aliou ou traiu as elites brasileiras, pois estas jamais seriam capazes de fazer qualquer coisa sem o mando e o condão de seus cafetões boreais. O agronegócio latifundiário, herdeiro mais antigo da demoníssima trindade dos inimigos internos do desenvolvimento nacional, tentou em mais de uma ocasião sabotar o governo Dilma, a exemplo da patronal "greve dos caminhoneiros" de 2015, sem sucesso, e o segundo componente dessa trindade, a grande mídia, tenta derrubar Lula desde seu primeiro mandato também sem sucesso. Portanto, o fato destas elites serem contra ou a favor do ex presidente por tal ou qual motivo é secundário para uma devida compreensão do que realmente ocorreu. [2]
E o que tivemos foi exemplo do que alguns denominam de Guerra de Quarta Geração, um processo de desestabilização do país, utilizando principalmente desinformação, criação ou cooptação de movimentos sociais, ataques especulativos, manipulação midiática e intervenção cibernética na internet, visando uma convulsão popular que force a conjuntura política do país a se mover em direção aos interesses ideológicos do país interventor. No caso ao modelo liberal estadunidense.
Diferente das Revoluções Coloridas que estouraram no Oriente Médio, ou a comoção social que está sendo produzida na Venezuela, a versão brasileira teve como motivação inicial farsesca os 20 centavos das Jornadas de Junho e Julho de 2013, que no entanto permaneceram mesmo após a suspensão do aumento e depois degeneraram no maior caos de nossa era em todo o país sem qualquer pauta objetiva discernível e nenhum resultado prático previsto. Posteriormente veio a Operação Lava Jato, imediatamente após o esquema de espionagem descoberto na Petrobrás, vieram os movimentos pelo impeachment e por fim foi alçado ao poder um governo incomensuravelmente mais corrupto que o anterior, levando a uma crise econômica muito pior, mas totalmente comprometido com a pauta liberal dos EUA. [3]
Mas o que ocorreu no Brasil não só pouco deve aos meros interesses de setores nacionais ou de classes internas, embora se alie oportunisticamente a elas, como sequer é uma novidade. Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek também foram sistematicamente denunciados por corrupção, o primeiro só não chegou a ser preso, julgado e provavelmente condenado por ter optado pela via do suicídio, e o segundo, que chegou a também ser acusado de ter um triplex, escapou quase certamente pelo fato da permanência da Ditadura Militar ter tornado desnecessário tirá-lo da próxima disputa presidencial, onde também liderava as intenções de voto. Mas quando as possibilidades democráticas começavam a ser vislumbradas no horizonte, JK foi, como se sabe hoje, assassinado, após difamação sistemática como também ocorreu com Getúlio e ocorre com Lula.
E estes três governantes, além de Dom Pedro II, tem em comum o fato de serem extremamente populares, e populistas, terem sido Nacional Desenvolvimentistas, ainda que com estilos diferentes e todos questionáveis, e terem tido destinos trágicos. Mas talvez somente o primeiro possa ter sua derrocada debitada quase que inteiramente na conta de "forças ocultas" internas. Os demais se viram em conflito direto contra interesses estrangeiros que são os verdadeiros responsáveis pelos processos que os derrubaram ou instalaram a Ditadura de 1964.
O verdadeiro ataque vem de fora, uma violação direta da soberania nacional, e vários órgãos nacionais e internacionais bem como governos não aliados aos EUA denunciaram isso abertamente. [4] Nenhuma análise que pretenda compreender os motivos do impeachment de Dilma e do julgamento de Lula será mais que demagogia e ilusão se não levar esse fato em conta como fator principal.
Os fatos que temos presenciado há quase 5 anos no Brasil, e em vários outros países, menos tem a ver com as máscaras do "combate à corrupção", protestos massivos de jovens alienados crendo lutar uma batalha épica contra o mal justo na melhor fase sócio econômica que o país conheceu em meio século, ou maquinações e traições de nossa pérfida elite anti-nacional.
Tem muito mais a ver, como muito insistiu o jornalista Pepe Escobar, replicando artigos em outros idiomas inclusive no Pravda russo, com retirar o país da aliança eurasiana do BRICS, afastando a evidente influência que os maiores adversários dos EUA tiveram no país e assegurando a posição cativa e subalterna do Brasil ao interesses colonialistas de Washington, ou ainda mais precisamente, Wall Street e as oligarquias plutocráticas que o controlam. [5]
_______________________
Notas
1 - É verdadeiramente difícil achar algum jurista que concorde explicitamente com a aplicação da Teoria do Domínio do Fato no caso da Ação Penal 470, especialmente depois que o maior expoente mundial no assunto, o jurista alemão Claus Roxin, do país onde ela foi criada e é mais utilizada, recriminou abertamente sua aplicação pelo STF. O assunto é complexo, mas pode-se dizer que orbita em torno da imputação penal de crimes violentos por instituições inteiramente ilegais em geral de teor militar ou paramilitar, visto que a referida teoria foi na realidade criada para julgar os crimes praticados pelos Nazistas, e posteriormente, na América Latina, para os crimes contra a vida da Ditadura Argentina e do ex-presidente peruano Alberto Fujimori pelo uso de aparato militar contra opositores. Parece haver um consenso de que a utilização da Teoria do Domínio do Fato para prática de corrupção dentro de organizações civis legais não é sustentável.
2 - Essa demoníssima trindade é constituída de: 1) segmentos do macro agronegócio comprometidos com a manutenção do país como uma eterna colônia agropecuária, sendo portanto o setor mais antigo, que remonta aos primórdios coloniais e passando pela política Café com Leite; 2) a grande mídia de massas, historicamente alinhada ao primeiro e opositora de todas as iniciativas de desenvolvimento do país; 3) o setor financeiro bancário rentista, agraciado pelas altas taxas de juros que garantem aos bancos serem o único setor praticamente indiferente às variações recentes de conjuntura política, e por isso mesmo o que menos se interessou em desestabilizar a economia nacional.
3 - Fernando Haddad chegou a dizer que Dilma e Lula foram alertados por Vladimir Putin e Recep Erdogan, que resistiram a tentativas de desestabilização similares em seus países, a respeito de movimentação anormal nas redes sociais sugerindo abordagens similares às que foram usadas contra a Rússia e Turquia, além de outros países que não resistiram ao ataque. Embora ele não apresente evidências, há quem corrobore suspeitas similares como o jornalista norte americano radicado na Alemanha F. William Engdahl, que apontou a "coincidência" de que foi logo após o vice presidente norte americano Joe Biden visitar o Brasil em 2013 se reunindo com líderes da Petrobrás e fracassando em convencer Dilma Rousseff a alterar o modelo de partilha que favorecia a China, que estouraram as Jornadas de Junho, similar ao ocorrido em outros países por onde Biden passou, fazendo a popularidade da presidente despencar para menos da metade em cerca de um mês.
Também o texto https://www.rt.com/op-ed/337411-brazil-russia-hybrid-attack/ de Pepe Escobar, discorre sobre alguns elementos relevantes a esse respeito.
4 - Alguns exemplos são, mais uma vez, o jornalista brasileiro Pepe Escobar que publicou diversas denúncias a respeito em vários órgãos de imprensa internacionais, em especial o texto "Kill List: Smashing the 'B' in BRICS" (https://sputniknews.com/…/201606081041017686-brics-brazil-c…), cuja versão em português pode ser visto no portal do jornal russo Pravda
http://port.pravda.ru/…/bra…/11-06-2016/41140-lista_brics-0/ ou o texto "Lula and the BRICS in a fight to the death" (https://www.rt.com/…/334904-brazil-brics-lula-economy-regime), que possui uma versão em vídeo traduzido em https://youtu.be/JjK49HjPMGc.
O mesmo é dito pelo jornalista Beto Almeida em http://www.patrialatina.com.br/lavajato-quer-tirar-brasil-…/
Mas talvez ainda mais importante seja lembrar da denúncia do Wikileaks e de Edward Snowden a respeito do envolvimento do governo americano não apenas no processo de espionagem da Petrobrás, mas até mesmo da preparação da Força Tarefa da Lava-Jato. O telegrama vazado pode ser lido na íntegra, traduzido e comentado, em http://www.patrialatina.com.br/da-vergonha-mas-e-preciso-l…/
5 - Uma exposição detalhada de fatos que antecedem o Petrolão pode ser vista no texto "Do Pré-Sal ao Impeachment - O Maravilhoso Mundo das Coincidências Fabulosas" em http://www.xr.pro.br/…/Maravilhoso_Mundo_das_Coincidencias.…

Nenhum comentário:

Postar um comentário